Dom da piedade: amor, confiança e reverência

Os dons dados pelo Espírito Santo adequam-se perfeitamente às nossas disposições espirituais, aperfeiçoando-as e abrindo-as de modo particular à ação do próprio Deus. Neste ponto, entramos nas especificidades do dom da piedade, por ser a dádiva que nos concede a condição filial perante Deus ao nos conectar com o Criador e sentir a imensidão do seu cuidado por nós.

O dom da piedade é o dom da proximidade. Próximos de Deus, desenvolvemos um amor por Ele tão grande, que nos permite criar uma comunhão íntima com o Senhor, sendo alimentado em nossa alma o desejo de realizar todas as Suas vontades.

No Evangelho de São João, Jesus deixa claro um de seus desejos quando nos ordena amar-nos uns aos outros, como Ele nos amou (13, 34). Jesus sabiamente reconhece que, pela condição de filhos de Deus, somos irmãos.

E nos motiva a entender que, ao mesmo tempo em que o dom da piedade faz com que nos reconheçamos como filhos de Deus, faz também com que cresçamos em comunhão fraterna. A verdadeira piedade é a que nos capacita a alegrar-nos com os que estão felizes e a chorar com os que choram; aproximar-nos dos que estão sozinhos ou angustiados; corrigir os que erram, consolar os aflitos, cuidar e ajudar os que passam necessidade.

Preocupado para que entendamos a mensagem divina de forma correta, o Santo Padre, o Papa Francisco, nos ensina que a palavra “piedade” não tem o sentido superficial com que às vezes é usada para expressar a pena ou a dor sentida por alguém. A piedade nos permite viver como verdadeiros filhos de Deus, o que nos leva também a amar o próximo e a reconhecer nele um irmão.

Contudo, o dom da piedade não está ligado apenas aos atos de caridade. Algumas práticas estão diretamente relacionadas à piedade: o ato de orar individualmente, o cuidado pelo que é sagrado, a adoração eucarística, a vontade de evangelizar, a oração do terço, entre outras.

Somos muito felizes por levarmos a “piedade” no nome, pois acreditamos que ela consiste em uma devoção, submissão e respeito para com o Pai: tudo o que queremos semear no coração das pessoas que nos assistem. Reverenciamos Deus por tudo o que Ele nos permite, por termos sidos escolhidos por Ele como um dos canais de comunicação de Sua mensagem ao mundo.

De fato, o trabalho feito pela Arte Piedosa tem esse intuito, sendo como as imagens e os ícones: busca não para nela mesma, carrega em si o desejo imenso de ser para todos uma janela para o Céu, sem nunca deixar de buscar transcender e ir mais além.

Nossa arte quer ajudar a levar ao mundo uma parte do doce amor do Espírito Santo, manifestado a cada um de nós, também, pelo dom da piedade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.